segunda-feira, 2 de março de 2009

Energia geotérmica

Dentro de poucos anos Portugal poderá ser auto-suficiente em termos de energia eléctrica tirando partido da energia proveniente do calor interno da Terra.

Com a profundidade a temperatura aumenta e a ideia é ir à profundidade suficientemente quente, falamos de quatro, cinco ou seis quilómetros para conseguir ter rocha a temperaturas de pelo menos 200 graus centígrados. Seguidamente colocar, através de um sistema de furos água nessa rocha, fazer essa água circular em fissuras naturais para que aqueça e, por fim, transportar a água à superfície para uma central onde esse calor contido na água vai permitir a produção de energia eléctrica”, explica o investigador Luís Neves do Departamento de Ciências da Terra, da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra.

A electricidade resultante desta inovadora forma de aproveitar a energia geotérmica vai conseguir no futuro satisfazer uma boa parte das necessidades do país, sendo possível a sua produção 24 horas por dia. Além de ser mais barata, a energia geotérmica poderá mesmo ser a melhor escolha até perante as energias renováveis.

Resultados palpáveis

O aproveitamento do calor da terra para produzir energia eléctrica já está a dar resultados em França e na Austrália. Portugal lança-se agora nesta aventura com um projecto que obteve luz verde do governo no início deste ano e que conta ter, dentro de três a cinco anos, uma central piloto a funcionar na região centro do país.


SIC