quinta-feira, 1 de fevereiro de 2007

Incongruências II


4 comentários:

Lucia Silva disse...

afinal de contas quem é (quem são!) as vítimas do "terrorismo" (eu diria melhor "terrorismo Social")?

Os fetos, sem dúvida! mas tb as Mães que optam pela certeza de um problema mais aliviado, que não teve socialmente a resposta correcta para que tivesse tido outra opção.

EU VOTO SIMMMM à Despenalização do aborto!!!!

Mário Bonga disse...

Eu já estou farto desta hipocrisia.
Todos somos contra o aborto. Todos queremos vidas mais estáveis. E vidas mais estáveis significam fé no futuro. E a fé no futuro pode ser medida, nos países ditos desenvolvidos pelo número de crianças.

Não adianta uma parte da igreja querer convencer todo o mundo que abortar é pecado e deve ser criminalizado. Na terra e no céu. O que queremos da igreja é que interceda junto das comunidades e dos governos de forma a contribuir para a estabilidade das famílias.

Se descobrirem uma mulher que goste de fazer aborto descobrem uma aberração humana. Não há!
O que de facto existem, em todas as classes sociais é gravidezes não desejadas.
Todas as pessoas que são contra a descriminalização do aborto têm sempre a opção de escolha. Não abortem ou não aconselhem as filhas a abortar quando são confrontadas com uma gravidez não desejada. Quer seja por violação, quer seja por deformação do feto, quer seja apenas devido ao descuido de uma criança -adolescente de tenra idade, com muitas imagens da novela e tanta vontade de experimentar.

Votar Sim é votar contra a hipocrisia. Anualmente fazem-se mais de 20.000 abortos em Portugal.

Anónimo disse...

Espero Simceramente, que caso o SIM "ganhe", que os defensores do NÃO, se lembrem que NÃO SÃO OBRIGADOS A FAZER QUALQUER ABORTO!!
(a não ser que venham a descobrir um qualquer prazer mórbito, que actualmente se desconhece, e concerteza não deixará de ser visto como um qualquer crime! - quanto mais não seja contra a própria integridade fisica e moral do seu próprio SER).

Nota: PREFIRO menos 9000 mulheres mortas por negligência resultantes de más prácticas médicas, do que 50.000 novas Crianças neste mundo, sem condições (muitas materiais sem dúvida!) Psicológicas saudáveis para o seu desnvolvimento.
Nota 2: ....pior que tudo isto... é que se o NÃO ganhasse, ninguem nos garantiria, que não continuassem a existir ABORTOS CLANDESTINOS!...

cumprimentos,

MAjor Silvério

Liliana PG disse...

O que se quer com este referendo é tão simplesmente ter a expressão/decisão de um colectivo (TODOS NÓS!) sobre a manutenção ou não da Lei que actualmente CRIMINALIZA as Adolescentes, Jovens e Mulheres adultas que tiveram que tomar a opção de relizar o aborto!!!
Tudo o resto é fugir ao problema.
Já agora seria muito interessante expôr aqui uma estatística sobre o universo de pessoas que olha somente para o Sexo (e a tudo a ele inerente) como uma "mera ferramente" de reprodução sexual... comparando com os do lado oposto. Bem como seria interessante saber quantas pessoas pensam que o prazer sexual só se tem em idade Madura? Será que nunca tiveram 12,13,14 anos???